A ARTE DE FUMAR CACHIMBOS E DEGUSTAR CHARUTOS

separador-white.png

ARTE DE CACHIMBAR

 

Fumar cachimbo é uma arte. Parece um pouco pretensioso, mas na verdade este é um ritual um pouco complexo que necessita de tempo e paciência.


Este pequeno manual serve para o ajudar na iniciação na Arte do Cachimbo.

 

 

O Primeiro Cachimbo

 

A escolha de um cachimbo parece um pouco complexa, e na realidade é. A consciência de certos e determinados pormenores associada a uma curiosidade extrema e uma fraca definição de gostos pode albergar uma escolha muito complexa. O primeiro cachimbo é apenas o ponto de partida para pesquisas posteriores, quase que podemos afirmar que o primeiro cachimbo pode ser um qualquer, mas também não é assim tão simples, existem alguns cachimbos a evitar.

 

Cachimbos

 

Apple - Com a cabeça ligeiramente arredondada, lembra o formato de uma maçã. O cabo normalmente é reto, porém alguns modelos têm cabo levemente curvado.

 

Billiard - Este é o cachimbo clássico, o modelo que deu origem a todos os cachimbos modernos. Com um tamanho mediano de cabeça, ele é apropriado para a maioria das pessoas, inclusive principiantes.

 

Billiard / Bent / Classic Bent - Como o nome sugere, este é o modelo clássico com algumas características do modelo Billiard.

 

Canadian - Este é visto por muitos como o mais elegante e clássico de todos os modelos. Tem um cabo singularmente longo e uma piteira curta. 

 

Bulldog - A cabeça é arredondada e sua parte inferior é esculpida de forma característica. Nos modelos em que o cabo é curvo, dá-se o nome de Bent Bulldog.

 

Churchwarden - Remanescente dos clássicos cachimbos de barro, é um modelo muito popular na Inglaterra e na Alemanha, onde tem o nome de Lesepfeife.

 

Lovat - Um outro modelo que se desenvolveu a partir do modelo Billiard, sendo que a única diferença se encontra na sua piteira de tamanho reduzido.

 

Pot - A cabeça tem um tamanho pequeno com uma base arredondada. Ideal para principiantes, desde que o diâmetro não seja muito grande.

 

Material

 

Como primeiro cachimbo, se seu orçamento permitir, procure um cachimbo de "Briar" (também denominado por cachimbo "Brier" ou "Bruyère"), "Briar" é a denominação britânica para a madeira da raiz, mais exatamente da zona entre a raiz e o tronco (vulgarmente conhecido como o "cepo"), de Urze Branca (Erica Arborea), uma árvore pequena que cresce na região mediterrânea. A raiz da urze branca tem uma grande longevidade, resistência ao calor e uma boa aparência.

Existem outros materiais para fazer cachimbos como madeira curada, barro, espuma do mar (sepiolite) ou porcelana, no entanto, estes são materiais frágeis, com fracas características de queima e não são tão fáceis de usar como os cachimbos "Briar".

Os cachimbos de espiga de milho são a opção menos cara para o primeiro cachimbo, e são uma boa alternativa aos cachimbos "Briar", contudo, estes cachimbos têm, normalmente, fornilhos bastante pequenos (o fornilho é a recipiente do cachimbo onde se coloca o tabaco) e hastes de plástico frágil (a parte do cachimbo que se coloca na boca, por vezes denominada por boquilha) que se torna fácil de perfurar com os dentes.

 

Como colocar o fumo no fornilho

 

Primeiro de tudo, escolha um bom cachimbo e selecione um tipo de fumo que mais lhe agrade. Isto resolvido, o mais importante de se ter em mente é encher corretamente o fornilho para que o fumo queime suave e uniformemente.
Muitos fumante preferem deixar o fumo em sua embalagem original e usam o cachimbo e como se fosse uma colher dando uma grande "colheirada" no fumo com o próprio cachimbo. Feito isso, com o dedo ou com um
socador, dê uma compactada no fumo com cuidado para não socar demais.
Você notará que, depois de socar o fumo, ainda restará espaço no fornilho, complete o fornilho com mais um pouco de fumo e dê mais uma socada de leve. Com a prática, você perceberá que se socar demais o fumo, ele queimará muito rapidamente, e se socar de menos ele tenderá a se apagar constantemente.
Pronto, seu cachimbo está pronto para acender.

 

Como acender seu cachimbo

 

O Melhor instrumento para se acender um cachimbo na minha modesta opinião é um isqueiro de chama normal, mas muitos cachimbeiros preferem os fósforos. Isto fica a critério do fumante.
Com o cachimbo em mãos, coloque a chama por cima do fumo e dê pequenas puxadas no ar do cachimbo, tente queimar o fumo em vários pontos pois isso facilita a propagação do calor.
Outro fator muito importante neste momento é que o fumo tende a aumentar de tamanho e se elevar devido ao calor, por isso use um socador (ou para os mais relaxados a própria caixa de fósforos ou o fundo do isqueiro) para uma última compactada no fumo acesso, isso se mostrará crucial para o cachimbo não apagar.

 

Como amaciar seu cachimbo

 

A maioria dos cachimbos (de boa qualidade) já vem tratados de fábrica e por isso já proporcionarão uma fumada prazerosa logo na primeira vez, mas a experiência comprova que um cachimbo fica melhor ainda com o tempo, como um motor de carro, ele ficará amaciado.
Após algum tempo de uso o fornilho ficará com uma camada de carvão de aproximadamente 1 mm, sendo este o sinal de que seu cachimbo já está maduro, ou seja, no seu potencial máximo.

 

Como esvaziar o cachimbo

 

Use um utensílio apropriado para limpar seu cachimbo, há vários no mercado. De maneira nenhuma bata o cachimbo para esvaziá-lo, isso evitará que você danifique a cabeça do seu cachimbo ou provoque danos à piteira.

 

Limpeza

 

Além de instrumentos para esvaziar o cachimbo após a fumada, outro instrumento importante é o limpador de algodão. Ele permite que você limpe o duto e a piteira por dentro, deixando seu cachimbo sem nenhum resto que possa comprometer fumadas futuras.

 

Dica

 

O cachimbo é uma forma de transformar um momento de ócio num ritual de meditação e prazer. Para que isso ocorra você deve fumá-lo de forma calma e tranqüila. 
É preferível deixar que o cachimbo se apague do que tentar mantê-lo aceso dando muitas tragadas rápidas. Assim a fumaça não ficará muito quente e você poderá desfrutar como se deve.

 

 

 

separador.png

 CACHIMBOS

E

SUAS

APRECIAÇÕES

separador.png
sabonete-cachimbo-cachimbo.jpg
separador-white.png

FUMOS PARA CACHIMBO

 

As diferentes variedades de tabaco de tubulação

 

Aromático 

 

Durante o processo de fabricação, os invólucros são adicionados ao tabaco. Um invólucro é um sabor que é adicionado ao tabaco. Algumas das tripas mais comuns são chocolate, baunilha, cereja, rum, maçã, licor, etc. Dependendo da quantidade de invólucro usado, uma mistura nesta categoria também pode ser considerada "semi-aromática" ou "levemente aromática".

 

Não Aromático 

 

Uma mistura que depende exclusivamente dos ingredientes naturais do tabaco para derivar seus aromas e aroma. Em muitos casos, o tabaco é especialmente envelhecido ou fermentado, o que aumenta a sua doçura.

 

Inglês Blend

 

Até 1986, os aditivos não eram permitidos em tabacos feitos na Inglaterra. Por esse motivo, esses tabacos foram referidos como misturas inglesas, embora os tabacos não aromáticos fossem fabricados em todo o mundo. Hoje, uma verdadeira mistura inglesa é considerada qualquer mistura contendo tabacos orientais, principalmente Latakia. A mistura inglesa mais comum consiste em Latakia, Virgínia e Perique. Dependendo de quanto Latakia é misturado na mistura, determina a força geral da mistura, descrita como uma mistura inglesa de amasse leve, média ou gorda.

 

Cortes de tabaco

 

Flake Cut - Tabaco embalado como grandes, flocos planos. Deve ser esfregado para separar os flocos .

 

Pronto esfregado - Um tabaco de corte de flocos que foi esfregado antes da embalagem.

 

Corte de fita - Tabaco cortado em fitas longas e finas.

 

Shag - Tabaco que foi destruído muito finamente.

 

Cake Or Plug - O tabaco do bolo é embebido em mel, que atua como um agente de ligação, bem como um edulcorante. O tabaco é então moldado pela embalagem em moldes redondos antes da embalagem. Esse processo às vezes é chamado de tabaco "disco centrifugado".

 

Combinando tabacos

 

A lista de tabacos a seguir é o principal ingrediente encontrado em todas as misturas de tabaco de tubulação .

 

Virgínia - Vermelho / preto / escuro / limão / laranja / laranja-vermelho. O mais suave de todos os tabacos de mistura. O tabaco de Virgínia tem o maior conteúdo de açúcar natural e é usado em praticamente todas as misturas, pois é bom queimador e ilumina facilmente. Dá um sabor leve e doce, o que, naturalmente, aumenta quando envelhece adequadamente antes de se misturar. É o tipo de tabaco predominante nas extensas plantações americanas. Apresenta folhas douradas e escuras. As escuras, que são muito usadas para misturas, têm aroma suave e agradável, alto teor de nicotina e são mais aromáticas e encorpadas que as douradas (Light Virgínia). 

 

Brilhante - Um tabaco muito leve que é cultivado nas Carolinas. Muito sabor suave.

 

Burley - Uma folha naturalmente mais espessa do que a Virgínia, Burley tem um sabor macio e noz que nunca morde. Ele também queima muito devagar e é usado para diminuir a velocidade da combustão para muitas misturas. Tabaco de textura rústica, amarelado e com baixo conteúdo de açúcar. Cresce em enormes plantações no Kentucky. Tem sabor forte e intenso.

 

Cavendish - Cavendish é um método de cura e corte. Muitas vezes confundido com um tipo de folha de tabaco. Cavendish é, na verdade, um tipo de processo de fabricação. Este processo especial de aquecimento e cura irá trazer o sabor naturalmente doce do tabaco da Virgínia. O processo também cria um tabaco que é bastante suave, com sabor muito leve e fácil de empacotar.

 

Black Cavendish - O processo natural de aquecimento e cura do tabaco da Virgínia para trazer o sabor doce natural.

 

Navy Cavendish - envelheceu naturalmente com rum jamaicano escuro.

 

Tabacos "saborosos"

 

Pense nestas misturas como adicionar sal e pimenta a uma refeição. A maioria destes tabacos são adicionados com moderação à mistura para criar alguns sabores e aromas únicos. Muitos desses tabacos têm sabores muito dominantes, então apenas uma pequena quantidade é necessária para provar o efeito total da folha.

 

Perique - Crescido na Louisiana, Perique é um tabaco muito escuro que é conhecido pelo seu sabor muito picante. Usado como tempero, produzido somente em uma pequena área da Louisiana, nos Estados Unidos. Tem paladar amargo e forte tempero, ficando entre o figo e a ameixa. Foi descoberto pelo francês Pierre Clenet, que aperfeiçoou o manejo dos indígenas locais, que consiste em fermentar o tabaco no líquido obtido de sua prensagem.

 

Brasil - Um tabaco muito escuro que possui um sabor robusto e saboroso.

 

Latakia - Crescido na Síria, Latakia é um tabaco escuro muito encorpado que emite um aroma esfumaçado que é semelhante às folhas ardentes. Latakia é um tabaco muito impensável que é usado principalmente em misturas inglesas. Fortemente aromático é, atualmente, muito cultivado no Oriente Médio. É empregado sempre como fumo de adição, temperando outras misturas. Seu sabor e corpo são acentuados. Uma das características da sua participação nas misturas é de produzir um efeito de mistério, bastante procurado. Está entre as misturas mais fumadas hoje em dia.

 

Oriental - Um agrupamento generalizado de tabacos, incluindo a Latakia, conhecida por seus aromas únicos de "especiarias". Os tabacos nesta categoria são cultivados no oeste da Turquia, Chipre, Grécia, Macedônia e Síria. Muitas vezes, uma mistura incluirá a Macedônia como um dos ingredientes. Os diferentes tipos de folhas de tabaco cultivadas na Macedônia são os seguintes ... Xanthi, Komotini, Drama, Serrus, Samsun e Izmir.

 

Kentucky - Como o próprio nome indica, cresce nas plantações do estado de Kentucky nos Estados Unidos. Tabaco forte, com alto teor de nicotina, de coloração marrom escura e textura áspera e rústica.

 

Aromatizados  

 

São aqueles blends aromatizados quimicamente com sabores como chocolate, cereja, café...

Oriental - Conhecido como turco selvagem, existem muitas e diferentes variedades desse tabaco. Tem aroma picante e sabor especial, que fazem dele um exótico ingrediente para as misturas com outras variedades.A partir destas espécies são feitos os blends, eles podem ser: Neutros - Sabor natural do tabaco;

Aromáticos - Usando tabacos como Virginia, temos sabores mais adocicados;